Formação na escola de gestores: percepções de diretores e suas práticas escolares

Autores

  • José Márcio Silva Barbosa Universidade do Estado de Minas Gerais  - UEMG, Minas Gerais, (Brasil)

DOI:

https://doi.org/10.19141/2763-5163.docentdiscunt.v4.n1.pe01541

Palavras-chave:

Escola de Gestores, Formação continuada, Gestão Escolar, Diretor escolar, Training at the School of Managers, Perceptions of principals and their school practices

Resumo

Este artigo apresenta parte dos resultados obtidos por uma tese de doutorado. O objetivo deste estudo é analisar as percepções dos diretores escolares sobre o curso de especialização em Gestão Escolar, do Programa Escola de Gestores (MEC) e suas implicações na prática escolar. Desenvolvemos uma pesquisa qualitativa, com orientações de estudos bibliográficos, que se relacionaram às orientações teóricas associadas às interpretações empíricas obtidas por meio da utilização de questionários e entrevistas semiestruturadas aplicados aos diretores das escolas. Os resultados comprovaram que a formação continuada oferece aos sujeitos da pesquisa aporte teórico e prático para atuação na gestão escolar. Em conclusão, os diretores têm a percepção de que a gestão democrática é uma das ações propulsoras para a efetivação de sua prática com ênfase no Projeto Político-Pedagógico e no fortalecimento da atuação na gestão da escola. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Márcio Silva Barbosa, Universidade do Estado de Minas Gerais  - UEMG, Minas Gerais, (Brasil)

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Minas Gerais, (Brasil). Professor de ensino superior da Universidade do Estado de Minas Gerais  -UEMG, Unidade Acadêmica de Divinópolis, Minas Gerais.

Referências

ALVES-MAZZOTTI, A. J., GEWANDSZNADJER, F. (1998). O Planejamento de Pesquisas qualitativas. In: O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira, p. 147-178.

AZANHA, J. M. P. (2004). Uma reflexão sobre a formação do professor da escola básica. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 30, n.2, p. 369-378, maio/ago. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022004000200016.

BRASIL. Ministério da Educação. (2007). Projeto de Curso de Especialização em Gestão Escolar (Lato Sensu). Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Fortalecimento Institucional de Gestão Educacional, Programa Nacional Escola de Gestores da Educação Básica. Brasília, Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=877-projeto-pdf&category_slug=documentos-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 22 março 2018.

BURGOS, M. B. e CANEGAL, A. C. (2011). Diretores escolares em um contexto de reforma da educação. Revista Pesquisa e Debate em Educação, v.1, n.1.

COTTA, T. C. (1998). Metodologias de avaliação de programas e projetos sociais: análise de resultados e de impacto. Revista do Serviço Público, ano 49, nº. 2, abr./jun.

CURY, C. R. J. (2014). A gestão democrática. In: OLIVEIRA, M. A. M. (org). Gestão educacional: novos olhares e novas abordagens. Petrópolis, RJ: Vozes, p. 9 – 10.

FERREIRA, N. S. C. A. (2013). Gestão da educação e as políticas de formação de profissionais da Educação: desafios e compromissos. In: FERREIRA, Naura Syria Carapeto (org.). Gestão democrática da educação: atuais tendências, novos desafios. São Paulo: Cortez, p. 119 – 140.

FERREIRA, N. S. C. A. (2012). Gestão educacional e organização do trabalho pedagógico. Curitiba, PR: IESDE Brasil.

DOURADO, L. F. (2013). A escolha de dirigentes escolares: políticas e gestão da educação no Brasil. In: FERREIRA, N. S. C. (org.). Gestão democrática da educação: atuais tendências, novos desafios. São Paulo: Cortez, p. 95 – 117.

GATTI, B. (2012). Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação, v.13, n. 37, jan./abr. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v13n37/06.pdf. Acesso em: 24 maio 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782008000100006.HORA, D. L. Gestão democrática na escola. Campinas, São Paulo: Papirus.

LARANJO, J. C. (2015). Efetividade da formação a distância para gestores da educação básica: a experiência da Escola de Gestores na UFMG. Tese de doutorado (Educação), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Minas Gerais.

LIBÂNEO, J. C., OLIVEIRA, J. F.; TOSCHI, M. S. (2012). Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez.

LÜCK, H. (2009). Dimensões da gestão escolar e suas competências. Editora Positivo: Curitiba.

LÜCK, H. (2013). Concepções e processos democráticos de gestão educacional. Petrópolis, RJ: Vozes.

PARO, V. H. (2015). Diretor escolar: educador ou gerente? São Paulo: Cortez.

SANDER, B. (2007). Administração da educação no Brasil: genealogia do conhecimento. Brasília: Líber Livro.

SEVERINO, A. J. (2007). Metodologia do trabalho científico. Editora Cortez.

TEIXEIRA, M. A. P. (2011). Formação para diretor escolar da educação básica: o programa Nacional Escola de Gestores no estado do Paraná. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 135 f.

Nota

Trabalho de pesquisa de doutorado financiado pela CAPES.

² O PNEGEB integra um conjunto de ações e estabelece diretrizes e orientações a partir do oferecimento de Projetos de Cursos formativos inicial e continuada de professores (aperfeiçoamento e especialização) em exercício nas escolas públicas. Reconhece-se a centralidade da formação destes profissionais para o avanço da qualidade do ensino e fortalecimento da gestão democrática da educação pública. Sobre o perfil do profissional que se deseja formar, sugerimos o acesso a maiores informações no site do MEC.

Downloads

Publicado

2023-03-28

Como Citar

SILVA BARBOSA, J. M. Formação na escola de gestores: percepções de diretores e suas práticas escolares. Docent Discunt, Engenheiro coelho (SP), v. 4, p. e01541, 2023. DOI: 10.19141/2763-5163.docentdiscunt.v4.n1.pe01541. Disponível em: https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1541. Acesso em: 18 abr. 2024.