Docent Discunt https://unasp.emnuvens.com.br/rdd <div style="text-align: justify;">A Revista Docent Discunt (RDD), <em>ISSN 2763-5163</em>, é um periódico semestral publicado pelo Mestrado Profissional em Educação do Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP). A RDD tem como missão a divulgação do conhecimento científico na área de educação, didática e áreas correlatas de forma a expandir o pensamento e a prática educacional através de trabalhos originais da área ou que dialogam com as esferas do campo educacional. O periódico tem como intuito promover a divulgação do conhecimento no âmbito educacional e suas nuances, com enfoque nas linhas de pesquisa do mestrado: formação de professores e gestores educacionais. <p>A <strong>RDD</strong> é editada pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp). Adicionalmente, a UNASP mantem uma parceria internacional com a <a href="https://lp.unasp.br/andrews/" target="_blank" rel="noopener"><em>Andrews University </em>(Estados Unidos)</a>.</p> <p>A gestão editorial é gerenciada por meio do <em>Open Journal Systems</em> – OJS 3, sendo este software desenvolvido pelo grupo de pesquisa Public Knowledge Project (PKP) da Universidade British Columbia. <strong>Os artigos poderão ser submetidos em português, inglês e espanhol.<br /></strong></p> <p>Como forma de padronização de autoria, o Comitê Editorial deste periódico científico recomenda a inclusão do iD do ORCID no ato da submissão. O identificador ORCID pode ser obtido gratuitamente no endereço: <a title="ORCID" href="https://orcid.org/register%20" target="_blank" rel="noopener">https://orcid.org/register</a>. O autor deverá aceitar os padrões para apresentação de iD ORCID, e incluir a URL completa, acompanhada da expressão "http://", no seu cadastro, logo após o e-mail (por exemplo: <em>http://orcid.org/0000-0002-1825-0097</em>). </p> <p><strong>e-ISSN</strong>: <a href="https://portal.issn.org/resource/ISSN/2763-5163" target="_blank" rel="noopener"><strong>2763-5163</strong> </a>| <strong>Ano de criação</strong>: 2020 | <strong>Área do conhecimento</strong>: Educação e áreas correlatas|<strong>Qualis</strong>: C (2017-2020)|</p> </div> Unaspress — Editora Universitária Adventista pt-BR Docent Discunt 2763-5163 <p><strong>Declaração de direito autoral</strong></p> <p>Declaro (amos) que a revista&nbsp;<strong>Docent Discunt </strong>está autorizada a publicar e alterar o texto inédito e original de minha (nossa) autoria, submetido para avaliação neste periódico, a fim de "maximizar a disseminação da informação".&nbsp;Concordo (amos) em compartilhar os direitos&nbsp;autorais&nbsp;a ele referentes com a Unaspress e com o Unasp, sendo que seu&nbsp;“conteúdo, ou parte dele,&nbsp;pode ser copiado, distribuído, editado, remixado e utilizado para criar outros trabalhos,&nbsp;sempre dentro dos limites da legislação de&nbsp;direito&nbsp;de autor e de&nbsp;direitos&nbsp;conexos”.&nbsp;</p> <p>Reconheço (Reconhecemos) ainda que&nbsp;<strong>a Revista Docent Discunt </strong>está licenciada sob uma&nbsp;<strong>LICENÇA CREATIVE COMMONS - ATTRIBUTION 4.0 INTERNATIONAL (CC BY 4.0)</strong>&nbsp;e que esta obra também estará licenciada com uma Licença&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/">Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional</a>,&nbsp;caso seja aceita e publicada.</p> <p>Dito isto, <strong>Permito (permitimos)</strong> que as instituições citadas acima remixem, adaptem, criem e distribuam, a partir deste trabalho, mesmo que para fins comerciais, desde que atribuam o devido crédito ao(s) autor(es) pela criação original.</p> Enlaces entre ellen white e john dewey: diálogo sobre suas propostas educacionais https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1593 <p>Neste artigo buscamos estabelecer relações entre as propostas de educação de Ellen White &nbsp;(1994, 2008) e John Dewey (2011) para os conceitos de experiência e democracia. São autores importantes na discussão sobre a percepção de educação e na elaboração de práticas educacionais. A educação como cada um dos autores propõe vem de seus contextos históricos e sociais, observando aspectos significativos em suas subjetividades. Nesse sentido, além de compreender as propostas, cabe compará-las e perceber se o que foi pensado continua válido e utilizado não só na rede adventista, no caso de White, mas também em outras redes educacionais.</p> Juliana Neri Munhoz Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-10-25 2023-10-25 4 e01593 e01593 A vivência dos aspectos estéticos, expressivos e intersubjetivos na docência https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1547 <p><strong>Objetivo:</strong> Compreender como os aspectos citados são vivenciados por professores no intuito de auxiliar nas reflexões e discussões sobre a formação de professores.</p> <p><strong>Originalidade/valor: </strong>O estudo evidenciou que a especificidade da profissão docente requer saberes norteadores da sua ação e, dessa forma, necessita-se do entendimento de que educar não é somente transmitir conteúdos para a reprodução, mas considerar que a formação humana requer a vivência dos aspectos estéticos, expressivos e intersubjetivos na ação pedagógica.</p> <p><strong>Método: </strong>Utilizou-se a hermenêutica afetiva de Andrés Ortiz-Osés, hermeneuta latino que busca nas categorias de interpretação, linguagem, sentido, simbolismo e afetividade para caracterizar a referida abordagem. Essas categorias foram consideradas na escuta de quatro professores universitários – nomeados A, B, C e D.</p> <p><strong>Resultados: </strong>De acordo com as narrativas dos docentes entrevistados, percebemos que existem dificuldades na vivência dos aspectos estéticos, expressivos e intersubjetivos. Esses impasses acontecem em consequência de variantes diversas, seja pela falta de formação pedagógica dos professores, pela compreensão equivocada da fragmentação do ensino, do curso e em consequência do currículo, e ainda, pela formatação da estrutura dos cursos no que diz respeito a salas com numerosos alunos, tempos das aulas e ensino conteudista.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> Constatou-se que os impasses acerca das dificuldades se expressam na contrariedade em (re)significar o olhar para a própria profissão, pois os docentes se veem como sujeitos dotados de razão, culminando no extremo desse entendimento, ou seja, nos racionalismos e fragmentações negacionistas da humanidade nas relações.</p> Sandra Elisa Réquia Souza Amarildo Luiz Trevisan Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-09-05 2023-09-05 4 e01547 e01547 Transmitir transformação: considerações sobre o sentido ético da filosofia e da educação https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1551 <p><strong>Objetivo do trabalho</strong><strong>: </strong>Investigar a possibilidade de repensar o sentido fundamental da educação para além da dimensão intelectual. Nossa proposta é colocar em primeiro plano o sentido ético da formação humana, isto é, a possibilidade de formação e transformação da postura existencial de cada um.</p> <p><strong>Método</strong>: Levantamento e exploração de questões com o auxílio de bibliografia clássica e atualizada sobre o tema. Nosso problema fundamental é o sentido dos processos educacionais que, segundo nos parece, têm sido reduzidos à sua dimensão intelectual e moral. Nossa hipótese é que podemos investir também em uma dimensão ética dos processos educacionais. Nosso problema situa-se, portanto, na fronteira entre ontologia (ao investigar quem são efetivamente os envolvidos nos processos de formação) e ética, por ter um impacto direto em nossa maneira de ser e estar no mundo. No desenvolvimento do nosso tema, combinamos pesquisa exploratória com pesquisa bibliográfica.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Não são mensuráveis objetivamente como em um trabalho de ciências exatas. No nosso caso, o resultado esperado é enriquecer os debates quanto ao sentido dos processos de formação humana.</p> <p><strong>Contribuição teóricas</strong>: O trabalho apresenta as correntes filosóficas <em>existencialismo</em> e <em>estoicismo</em>, correntes tão díspares, de tempos, lugares e contextos tão diferentes, como exemplares daquilo que Pierre Hadot consagrou como sentido ético da Filosofia: a noção de exercícios espirituais. Tomamos essas correntes filosóficas como exemplares para pensarmos também o sentido ético dos processos de formação humana.</p> <p><strong>Cobclusão:</strong> O trabalho vem se somar aos esforços de situar o sentido dos processos de formação para além da dimensão cognitiva, da “aprendizagem” e da imposição de uma moral pré-estabelecida. Procuramos evidenciar que, muito além da transmissão de conteúdos intelectuais, o que está em jogo nos processos educacionais é a possibilidade de formação e transformação de uma trajetória existencial singular.</p> Diogo Bogéa Esdras Guedes da Cruz Silva Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-08-29 2023-08-29 4 e01551 e01551 A liderança como competência a ser desenvolvida pelos profissionais da equipe de gestão escolares https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1516 <p>O conceito de liderança vem sendo utilizado com grande frequência nas organizações e está presente também nas escolas. Dessa forma, o presente artigo traz como enfoque a liderança nas instituições de ensino, especificamente relacionada à atuação da equipe de gestão escolar (direção, coordenação e orientação), tendo como objetivo compreender a importância do desenvolvimento de competências de liderança para a equipe de gestão escolar. Para isso, a metodologia aplicada no presente trabalho pautou-se em uma pesquisa bibliográfica, de natureza básica, com abordagem qualitativa e de caráter descritivo. Como resultados, encontrou-se que a base teórica destaca pontos primordiais para uma liderança eficaz, sendo que uma equipe de gestão disposta a se relacionar efetivamente com as pessoas é capaz de liderar com eficiência sua equipe, assim consegue alcançar da melhor forma desempenhos positivos na organização à qual pertence, promovendo a aprendizagem dos alunos. Complementando o entendimento sobre o termo liderança apresentam-se também as concepções acerca de seu conceito.</p> Gisele Stano Rodrigues Marlon Gonçalves Zili Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-01-15 2023-01-15 4 e01516 e01516 10.19141/2763-5163.docentdiscunt.v4.n1.pe01516 Formação na escola de gestores: percepções de diretores e suas práticas escolares https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1541 <p>Este artigo apresenta parte dos resultados obtidos por uma tese de doutorado. O objetivo deste estudo é analisar as percepções dos diretores escolares sobre o curso de especialização em Gestão Escolar, do Programa Escola de Gestores (MEC) e suas implicações na prática escolar. Desenvolvemos uma pesquisa qualitativa, com orientações de estudos bibliográficos, que se relacionaram às orientações teóricas associadas às interpretações empíricas obtidas por meio da utilização de questionários e entrevistas semiestruturadas aplicados aos diretores das escolas. Os resultados comprovaram que a formação continuada oferece aos sujeitos da pesquisa aporte teórico e prático para atuação na gestão escolar. Em conclusão, os diretores têm a percepção de que a gestão democrática é uma das ações propulsoras para a efetivação de sua prática com ênfase no Projeto Político-Pedagógico e no fortalecimento da atuação na gestão da escola.&nbsp;</p> José Márcio Silva Barbosa Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-03-28 2023-03-28 4 e01541 e01541 10.19141/2763-5163.docentdiscunt.v4.n1.pe01541 Educação nas entrelinhas: a nobre mentira de platão https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1544 <p>Os antigos escritores gregos falavam pouco das entrelinhas. Em vez disso, dirigiam o olhar para as linhas. Sua preocupação era com o que ficava evidente nas linhas e, principalmente, suas interpretações. No entanto, isso não significa que não houvesse nada para ler nas entrelinhas. Ao contrário disso, pode-se dizer que os antigos gregos eram especialistas em encher as entrelinhas de possibilidades. A cidade grega era uma sociedade que regulava quase todos os aspectos da vida, inclusive a moral, a religião e a arte. Contudo, uma atividade permanecia essencialmente privada e transpolítica: a filosofia. De fato, os filósofos rejeitavam as ideias dominantes da sociedade, ainda que essas ideias fossem fortemente abraçadas na superfície de seus escritos. Revelavam, portanto, sob a superfície, o que não podia ser explicitado, exceto para um grupo seleto de acólitos. Daí o convite para uma hermenêutica da desconfiança. O objetivo, aqui, é, portanto, examinar a assim chamada “nobre mentira”, contada por Sócrates na <em>República</em> (415a-d), sobre sua proposta de estratificação social, a fim de entender o sistema educacional proposto nessa obra pedagógica de Platão, a partir das entrelinhas desse mito, e sua implicação social e política para o trabalho educativo</p> Milton Luiz Torres Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-01-19 2023-01-19 4 e01544 e01544 Conceito e o propósito da educação segundo comenius no livro didática magna https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1550 <p>O principal objetivo deste estudo bibliográfico foi realizar uma análise exploratória da visão educacional de Comenius em seu mais relevante livro: a Didática Magna. &nbsp;As seguintes indagações foram consideradas: Quem foi Comenius e o que fez desta sua obra mais notável? Qual é a concepção e propósito da educação em sua visão? E quais as contribuições deste conceito para o educador na era contemporânea? Os dados indicam que Comenius concebia a educação como instrumento eficaz para levar o ser humano ao conhecimento de Deus e de Sua vontade e por isso deve ser universal. Sua concepção de ser humano considera o problema do pecado e necessidade de redenção, objetiva uma educação que restaure no ser humano à imagem e semelhança de seu Criador. Ao escrever seu livro-texto mais célebre, Comenius aborda de forma prática&nbsp; como deveria ser a educação e como as pessoas deveriam ser tratadas. Ele reconhece a responsabilidade dos educadores, bem como o potencial das experiências formativas da tenra infância como decisivas não só para esta vida, mas para a eternidade.</p> Karla Adriane Corrêa Oliveira Jefferson Rangel Ribeiro Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-02-03 2023-02-03 4 e01550 e01550 Experiência e filosofia: a rede micelial da sala de aula https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1576 <p>Quais as possibilidades de os fungos nos ensinarem sobre seu mundo e nós, professores, colocarmos este ensinamento em prática na sala de aula? Partindo desta pergunta este artigo se propõem a construir redes miceliais dentro da sala de aula. No caso, esta rede já foi tramada ao longo do ano de 2022. As experiências aqui citadas foram produzidas no encontro entre uma rede micorrízica de professor e estudantes. Além disso, vários esporos foram lançados, demonstrando as conexões conceituais entre teoria e prática. O processo pode ser visto como uma espécie de professor-microrrízico, conceito este criado para designar as forças potentes que são tramadas em conjunto com os estudantes-plantas. Os fungos micorrizos trocam nutrientes entre as plantas e ambos se fortalecem nesta conexão. Assim como no mundo da botânica, na educação também há esta troca entre os professores e os estudantes. Portanto, espalhar estes acontecimentos é estar próximo dos cogumelos, que contribuem para a continuação da rede micelial.</p> Geverton Felipe Köhnlein Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-28 2023-12-28 4 e01576 e01576 O papel do orientador educacional na equipe de liderança escolar https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1575 <p>A equipe de liderança de uma escola é formada por diferentes profissionais que juntos buscam pelo melhor desenvolvimento dos estudantes e de toda a comunidade de professores que dela fazem parte. Nessa equipe, fica clara a função do diretor no papel de gestor escolar, responsável por orquestrar e liderar todo o trabalho pedagógico e administrativo da instituição. No entanto, na maioria das vezes os papéis do orientador educacional e do coordenador pedagógico se encontram em uma área cinzenta, na qual a não especificação de suas funções impede que cada um realize seu trabalho de forma mais adequada. Sendo assim, o objetivo dessa pesquisa foi elencar as expectativas dos papéis do orientador educacional e do coordenador pedagógico, para que nenhum dos profissionais se sinta sobrecarregado na rotina escolar, garantindo que o coordenador possa atuar diretamente nas demandas de formação dos educadores e acompanhamento do currículo e, que o orientador atue nas necessidades individuais e coletivas dos estudantes voltadas ao desenvolvimento de suas habilidades emocionais, assim como o atendimento às famílias. Através da revisão sistemática, levantamos as atribuições de cada cargo e observamos que isso permite um trabalho mais efetivo da equipe de liderança e consequentemente, melhor evolução dos planos estratégicos da escola em prol do progresso dos alunos.</p> Pâmela Ágata de Moraes José Anderson Santos Cruz Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-28 2023-12-28 4 e01575 e01575 Domingos peixoto da silva, um pioneiro afro-brasileiro da educação adventista https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1596 <p>Este artigo tem por objetivo apresentar o trabalho pioneiro de Domingos Peixoto da Silva como estudante do Seminário Adventista entre 1915 e 1922, como administrador do Colégio Adventista entre 1939 e 1947 e como líder do Departamento de Deveres Cívicos e Liberdade Religiosa da Igreja Adventista do Sétimo Dia no Brasil entre 1951 e 1971. A pesquisa se caracteriza como um trabalho de investigação bibliográfica em que se pretende demonstrar a presença afro-brasileira nos primórdios da história denominacional, principalmente na Educação Adventista, com a fundação do Seminário Adventista (atual Unasp).</p> Francisco Carlos Ribeiro Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-11-03 2023-11-03 4 e01596 e01596 A presença masculina na pedagogia: uma análise histórica https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1597 <p>Este artigo apresenta uma investigação sobre a incidência da presença masculina no Curso de Pedagogia. Com os objetivos propostos, buscou-se compreender o contexto histórico e social da formação docente no Brasil, a fim de perceber como as relações entre os gêneros foram se constituindo na área. A pesquisa se concentrou no Curso de Pedagogia de uma instituição particular, confessional e sem fins lucrativos. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica e exploratória, bem como pesquisa de campo, através de entrevistas com os egressos do curso de pedagogia dessa instituição, para identificar o perfil desse público; além de realizar análise dos dados qualitativos utilizando o software WebQDA. Mediante a pesquisa, concluímos: a presença do gênero masculino na pedagogia, tal como se encontra, é resultado de um processo histórico. E embora muito já tenha sido feito contra o preconceito que esses profissionais enfrentam de diversas formas, ainda há para se fazer.</p> Samuel de Santana Aleixo Brown Vitória de Santana Aleixo Brown Giza Guimarães Pereira Sales Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-29 2023-12-29 4 e01597 e01597 Educação adventista: 150 anos de um projeto missional a uma rede de ensino https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1598 <p>A educação adventista teve sua origem estabelecida através de uma necessidade da comunidade religiosa recém estruturada no início da década de sessenta dos anos mil e oitocentos. Nesses primórdios, a Igreja Adventista do Sétimo Dia que se organizava como entidade religiosa, tinha como objetivo a pregação do evangelho com a mensagem do eminente retorno de Jesus Cristo a esta terra. E, para cumprir sua missão, era necessário o preparo de missionários que pudessem divulgar essa mensagem. Com características missiológicas surge os primeiros movimentos para o estabelecimento de colégios que formassem jovens para serem enviados a cumprir essa missão. Passados 150 anos, esse propósito não só foi alcançado, mas o movimento de uma educação confessional se transformou em um projeto educacional presente em mais de 165 países. O objetivo desse artigo é apresentar o desenvolvimento desse projeto educacional que começou como uma visão missional e se transformou em um dos maiores sistemas educacionais do mundo.</p> Douglas Menslin Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-11-03 2023-11-03 4 e01598 e01598 História educação primária adventista no estado de são paulo: 1920-1940 https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1594 <p>A educação e história adventista contaria com um conjunto de textos de aparato historiográfico pontualmente relacionado à denominação: Azevedo (2004); Hosokawa (2001); Knight (2000; 2010); Schünemann (2005; 2009); Timm (2004); White (2007). O grupo que compreende a bibliografia complementar abrange: ensino protestante; história da educação brasileira e paulista; entusiasmo e nacionalismo republicano. O objetivo da referente pesquisa consiste em caracterizar e inventariar documentos sobre a dinâmica inicial do sistema adventista de educação primária, dentro de suas predefinições espaciais e temporais (São Paulo, 1920-1940). Simultaneamente, intencionou-se retratar o funcionamento dessas instituições, em vínculos pontuais com a filosofia cristã adventista, fundamentada em White.</p> Carlos Roberto de Oliveira Sobrinho Elder Hosokawa Gabriel Felipe Terres Rigo Copyright (c) 2023 Docent Discunt https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-11-23 2023-11-23 4 e01594 e01594