PNFQ
PDF

Palavras-chave

política nacional de formação de quadros
angola
formação continuada
transformação social

Como Citar

Francisco, I. (2021). PNFQ. Docent Discunt, 1(2), 45-53. https://doi.org/10.19141/docentdiscunt.v1.n2.p45-53

Resumo

O presente trabalho consiste em análise bibliográfica e pesquisa qualitativa com o objetivo de analisar do Plano Nacional de Formação de Quadros (PNFQ) o qual visa à formação continuada de professores em Angola. Levanta-se a questão de como considerar esta oferta como eficiente em sua proposta e, também um dos fatores da melhoria da educação em Angola. A discussão perpassa aspectos políticos intrinsecamente ligados ao processo formativo de professores que são requeridos a realizar parte de sua formação no exterior do país, a fim de se potencializarem e, assim, contribuírem para o desenvolvimento de Angola. O processo de formação é constituído pelos “saberes necessários”: os conceitos, as práticas pedagógicas, o fazer e a transformação social. As bibliografias sobre o tema teorizam a política e educação como resultado “da ação e da reflexão” (FREIRE, 1997), da “profissão professor” e do ato de “firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente” (NÓVOA, 1999, 2017). Com bases nas contribuições teóricas e análise das informações que constam na PNFQ, este estudo cumpre um papel crucial na atual conjuntura político e social de Angola.  

https://doi.org/10.19141/docentdiscunt.v1.n2.p45-53
PDF

Referências

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Política e Educação. São Paulo: Cortez, 1997.

FERREIRA, V. Educação e Transformação Social. São Paulo: Editora Lutas Anticapital, 2018.

JOSE, J. Angola: Independente, Conflito e normalização. In: MACEDO, J. (Org.). Desvendando a história de África. Porto Alegre, 2008.

LOPES, M. G. R. A. Formação continuada: Um espeço de construção de saberes necessários ao educador de jovens e adultos. In. MERCADO, L.; KULLOK, M. Formação de Professores: Política e Profissionalização. Maceió: Editora UFAL, 2004.

MUACHIA, M. T. A Escola numa Angola em Contexto de Mudanças: As Línguas Nativas no Âmbito Educaional. 2016. Dissertação (Mestrado em Ciências da Educação) – Universidade do Minho, Braga, Portugal, 2016.

NÓVOA, A. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, v. 47, n. 166, out/dez 2017, p. 1106-1133.

NÓVOA, A. (Org.). Profissão Professor. Porto: Porto Editora LDA, 1999, v. 3.

OLIVEIRA, S. A Implementação do modelo formal de ensino em Angola (Séculos XV-XX). Revista Brasileira da História da Educação, v. 15, n. 2 (38), maio/ago 2015, p. 55-80.

PAXE, I. P. V. Políticas educacionais em Angola: Desafios do direito à educação. 2014. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

SEMERARO, G. (Org.). Filosofia e Política na Formação do Educador. São Paulo: Editora Idéias & Letras, 2004.

SACRISTÁN, J. Consciência e ação sobre a prática como libertação dos professores. In. NÓVOA, A. (Org.). Profissão Professor. Porto: Porto Editora, LDA, 1999.

Copyright (c) 2021 Docent Discunt

Downloads

Não há dados estatísticos.