A presença masculina na pedagogia: uma análise histórica

Autores

  • Samuel de Santana Aleixo Brown Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP, São Paulo, (Brasil)
  • Vitória de Santana Aleixo Brown Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP, São Paulo, (Brasil)
  • Giza Guimarães Pereira Sales Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP, São Paulo, (Brasil)

Palavras-chave:

Formação do pedagogo, Gênero masculino na pedagogia, Homens na pedagogia

Resumo

Este artigo apresenta uma investigação sobre a incidência da presença masculina no Curso de Pedagogia. Com os objetivos propostos, buscou-se compreender o contexto histórico e social da formação docente no Brasil, a fim de perceber como as relações entre os gêneros foram se constituindo na área. A pesquisa se concentrou no Curso de Pedagogia de uma instituição particular, confessional e sem fins lucrativos. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica e exploratória, bem como pesquisa de campo, através de entrevistas com os egressos do curso de pedagogia dessa instituição, para identificar o perfil desse público; além de realizar análise dos dados qualitativos utilizando o software WebQDA. Mediante a pesquisa, concluímos: a presença do gênero masculino na pedagogia, tal como se encontra, é resultado de um processo histórico. E embora muito já tenha sido feito contra o preconceito que esses profissionais enfrentam de diversas formas, ainda há para se fazer.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samuel de Santana Aleixo Brown, Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP, São Paulo, (Brasil)

Graduando em Pedagogia pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo, Campus Engenheiro Coelho, (Brasil). 

Vitória de Santana Aleixo Brown, Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP, São Paulo, (Brasil)

Graduanda em Letras/Portugues pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo, Campus Engenheiro Coelho, (Brasil). 

Giza Guimarães Pereira Sales, Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP, São Paulo, (Brasil)

Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista - UNESP, campus Marília, (Brasil). Professora do Mestrado Profissional em Educação do Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP, São Paulo.

Referências

CARVALHO, Marília Pinto de. Vozes masculinas numa profissão feminina. Estudos Feministas, v. 6, n. 2, 01 - 01- 1998, p. 406-422.

DEMARTINI, Z. de B. F.; ANTUNES, F. F. Magistério primário: profissão feminina, carreira masculina. Cadernos de Pesquisa, n. 86, 31-08-1993, p. 5–14.

PIAZZETTA, Tamara. O masculino na docência na educação infantil e anos iniciais. Sbece, v. 14, n. 14, mai./jul./ago. 2000, p. 61-88.

RABELO, Amanda Oliveira. Professores discriminados: um estudo sobre os docentes do sexo masculino nas séries do ensino fundamental. Educação e Pesquisa, v. 39, n. 4, out/dez - 2013, p. 907-925.

SAYÃO, Deborah Thomé. Relações de gênero e trabalho docente na educação infantil: Um estudo de professores em creche. Tese de doutorado, Programa de Pós-graduação em educação, Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, 2005.

TANURI, Leonor Maria. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação. n. 14, mai/ago - 2000, p. 61-88.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

DE SANTANA ALEIXO BROWN, S.; BROWN, V. de S. A.; GUIMARÃES PEREIRA SALES, G. A presença masculina na pedagogia: uma análise histórica. Docent Discunt, Engenheiro coelho (SP), v. 4, p. e01597, 2023. Disponível em: https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1597. Acesso em: 18 abr. 2024.