O papel do orientador educacional na equipe de liderança escolar

Autores

  • Pâmela Ágata de Moraes
  • José Anderson Santos Cruz Editora Iberoamericana e Estudos em Educação, São Paulo, (Brasil)

Palavras-chave:

Orientação educacional, Coordenação pedagógica, Gestão escolar, Atuação, Educação

Resumo

A equipe de liderança de uma escola é formada por diferentes profissionais que juntos buscam pelo melhor desenvolvimento dos estudantes e de toda a comunidade de professores que dela fazem parte. Nessa equipe, fica clara a função do diretor no papel de gestor escolar, responsável por orquestrar e liderar todo o trabalho pedagógico e administrativo da instituição. No entanto, na maioria das vezes os papéis do orientador educacional e do coordenador pedagógico se encontram em uma área cinzenta, na qual a não especificação de suas funções impede que cada um realize seu trabalho de forma mais adequada. Sendo assim, o objetivo dessa pesquisa foi elencar as expectativas dos papéis do orientador educacional e do coordenador pedagógico, para que nenhum dos profissionais se sinta sobrecarregado na rotina escolar, garantindo que o coordenador possa atuar diretamente nas demandas de formação dos educadores e acompanhamento do currículo e, que o orientador atue nas necessidades individuais e coletivas dos estudantes voltadas ao desenvolvimento de suas habilidades emocionais, assim como o atendimento às famílias. Através da revisão sistemática, levantamos as atribuições de cada cargo e observamos que isso permite um trabalho mais efetivo da equipe de liderança e consequentemente, melhor evolução dos planos estratégicos da escola em prol do progresso dos alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pâmela Ágata de Moraes

Pedagoga. Professora de Educação Infantil em escola bilíngue

José Anderson Santos Cruz, Editora Iberoamericana e Estudos em Educação, São Paulo, (Brasil)

Doutor em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP, São Paulo, (Brasil). Professor Associado pelo Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Empresas - PECEGE, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo - USP, Esalq/USP, São Paulo. Editor pela Editora Ibero-Americana de Educação, São Paulo.

Referências

Aguiar, M.C.C; Lins, J.B. 2016. Identidade profissional de coordenadores pedagógicos: O olhar dos estudantes de Pedagogia da Universidade Federal de Pernambuco. Revista Cocar 10 (19).

Brasil. 1942. Decreto Lei n. 4073, de 30 de janeiro de 1942. Dispõe sobre a lei que estabelece as bases de organização e de regime do ensino industrial. Diário Oficial da União, Rio de Janeiro, 09 de fevereiro. 1942. Seção 1, p. 1997.

Brasil. 1968. Decreto Lei n. 5654, de 21 de dezembro de 1968. Provê sobre o exercício da profissão de orientador educacional. Diário Oficial da União, Brasília, 24 de dezembro. 1968. Seção 1, p. 11113.

Brasil. 1971. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 5692, de 11 de agosto de 1971. Fixa diretrizes e bases para o ensino de 1º e 2º graus. Diário Oficial da União, Brasília, 12 de agosto. 1971. Seção 1, p. 6377.

Brasil. 1973. Decreto n. 72846, de 26 de setembro de 1973. Regulamentada a Lei n. 5564, de 21 de dezembro de 1968, que provê sobre o exercício da profissão de orientador educacional. Diário Oficial da União, Brasília, 27 de setembro. 1973. Seção 1, p. 9746.

Brasil. 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 de dezembro. 1996.

Brasil. 2005. Projeto de resolução n. 4, de 13 de setembro de 2005. Altera a resolução CNE/CP n. 1/2002, que institui diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores da educação básica, em nível superior, curso de licenciatura de graduação plena. Diário Oficial da União, Brasília, 14 de outubro. 2005.

Brasil. 2006. Resolução n.1, de 15 de maio de 2006. Institui diretrizes curriculares nacionais para o curso de graduação em Pedagogia, licenciatura. Diário Oficial da União, Brasília, 16 de maio. 2006.

Bugone, A.C; Dalabetha, A; Bagnara, I.C. 2016. O orientador educacional e seus desafios no contexto escolar. Revista de Educação do IDEAU 11 (23): 1 – 15

David, R.S. 2017. A construção da identidade do coordenador pedagógico e seu perfil profissional no contexto atual. Revista Labor 01 (17): 143 – 157

David, R.S. 2017. O orientador escolar e a escola: A criação de espaços de participação social e exercício da cidadania. Revista Labor 01 (18): 104 - 117.

Delgado, A. 2018. Orientación escolar en el marco de la convivencia escolar, una mirada desde las representaciones sociales. Revista Electrónica en Educación y Pedagogía, 2 (2), 100-112.

Garcia, R.P.M.; Silva, C.N. 2017. Atuação profissional do coordenador pedagógico e as implicações no ensino e na aprendizagem. Revista on line de Política e Gestão Educacional 21 (3): 1405 – 1422

Lück, H. 2006. Gestão educacional: Uma questão paradigmática. 1ed., Ed. Vozes, Petrópolis, Rio de Janeiro, Brasil

Downloads

Publicado

2023-12-28

Como Citar

MORAES, P. Ágata de; CRUZ, J. A. S. O papel do orientador educacional na equipe de liderança escolar. Docent Discunt, Engenheiro coelho (SP), v. 4, p. e01575, 2023. Disponível em: https://unasp.emnuvens.com.br/rdd/article/view/1575. Acesso em: 18 abr. 2024.