A "aliança" e a economia patriarcal
PDF

Palavras-chave

Aliança
economia patriarcal
valor
bens
relações sociais

Como Citar

Aguilar, R. (2005). A "aliança" e a economia patriarcal. Kerygma, 1(1), 45-55. Recuperado de https://unasp.emnuvens.com.br/kerygma/article/view/352

Resumo

Toda atividade humana e suas relações sociais estão incorporadas na economia. A economia de um grupo social está relacionada com mecanismos de produção, circulação e consumo de bens (K. Polanyi). A circulação de bens é um processo de transferência de produtos (comércio). A transferência depende do valor determinado a cada bem. Segundo as teorias econômicas, o valor de um objeto está associado a sua utilidade e poder de compra: “valor de uso” e “valor de troca” (Adam Smith); e ao trabalho despendido, sendo o “trabalho o primeiro preço do objeto” (K. Marx). Não se deve ignorar o “valor do significado” do objeto (Vautsaki). No estudo da economia das sociedades antigas, em geral, aplicam-se as duas primeiras teorias. No entanto, na sociedade patriarcal, impera uma economia baseada no “significado do valor” dos objetos. Esse significado tem seu princípio na “Aliança” entre Deus e o patriarca Abraão. No período patriarcal, o significado da “Aliança” é o princípio que fundamenta a economia, porque outorga valor aos bens. A relação entre a “Aliança”, como fundamento, e a economia patriarcal, se manifesta na distribuição de bens que ocorre em três esferas: na esfera do direito; do prestigio e da subsistência. Na esfera do direito a circulação de bens ocorre no matrimônio. Na esfera do prestigio, na primogenitura e na transferência da terra. Na esfera de subsistência, os bens circulam na hospitalidade, no comprometimento social, na proteção ao necessitado (leis de proteção), do Ano Sabático, nas instituições familiares como o Jubileu, o Levirato, e o papel do Resgatador. Baseada na “Aliança”, a economia do período patriarcal estabelece uma sociedade única na história (a sociedade patriarcal), onde a circulação de bens não é realizada por mecanismos de compra e venda. Isso quer dizer que nessa sociedade, ninguém compra e ninguém vende.
PDF

Uma vez aceitos para a publicação, os direitos autorais dos artigos são automaticamente transferidos à Kerygma. Todo material utilizado no texto que possua direitos autorais de terceiros devem estar devidamente referenciados. As pessoas autoras também devem deter os direitos de reprodução das imagens e tabelas em seu material, caso seja necessário. Autores(as) que publicam na Kerygma devem concordar com os seguintes termos:

Termo 1: Os(as) autores(as) concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
Termo 2: Os(as) autores(as) têm a autorização para assumir contratos adicionais para a distribuição não exclusiva de seu trabalho, conforme publicado na revista (por exemplo: repositório institucional, capítulo de livro etc.). Contudo, ele deve reconhecer a autoria e a publicação inicial do trabalho à Kerygma.
Termo 3
: Os(as) autores(as) concordam com a reprodução livre de seu material pela Kerygma, que poderá adaptar, modificar, condensar, resumir, reduzir, compilar, ampliar, alterar, mixar com outros conteúdos, incluir imagens, gráficos, objetos digitais, infográficos e hyperlinks, ilustrar, diagramar, fracionar, atualizar, traduzir e realizar quaisquer outras transformações, sendo necessária a participação ou autorização expressa dos autores. Ela também pode distribuir mediante cabo, fibra ótica, satélite, ondas ou qualquer outro sistema que permite acesso ao usuário em tempo e lugar determinados, seja por vias gratuitas ou por sistemas que importem pagamento. A Kerygma poderá incluir o trabalho em banco de dados, físico ou virtual, arquivar em formato impresso, armazenar em computador, em sistema de nuvem, microfilmar e demais formas de arquivamento atuais ou que ainda possam ser desenvolvidas, com ou sem fins lucrativos.

A revista Kerygma é detentora dos direitos de todos os trabalhos publicados por ela. A reprodução integral desses textos em outras publicações, para qualquer outra finalidade, por quaisquer meios, requer autorização por escrito do editor. O mesmo serve para reproduções parciais, como resumo, abstract, porções com mais de 500 palavras do texto, tabelas, figuras, ilustrações etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.