Sobre a Revista

Políticas Editoriais

1. Foco, escopo e missão
2. Políticas de seção
3. Processo de avaliação cega por pares
4. Formato e periodicidade
5. Política de acesso livre
6. Arquivamento
7. Declaração sobre ética
8. Nominatas
9. Submissões
10. Patrocínio da revista
11. Histórico do periódico
12. Sobre o sistema de publicação

Foco, escopo e missão

A Kerygma é um periódico científico da Faculdade Adventista de Teologia (FAT), localizada no Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP), campus Engenheiro Coelho. Ela se concentra na área de Ciências da Religião e Teologia; e é publicada semestralmente em parceria com a Imprensa Universitária Adventista (Unaspress).

A revista está disponível em formato eletrônico (ISSN 1809-2454) e publica textos inéditos – em português, espanhol e inglês. Eventualmente, ela também publica estudos em interface com outras áreas no âmbito das Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas, atuando como um canal de socialização do conhecimento teológico e de pesquisas que apresentam temas relevantes à teologia e à religião.

Além disso, por estar associada à Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD), a revista também fomenta publicações acadêmicas que contemplam estudos sobre o adventismo, dentro das variadas abordagens possíveis à Teologia, às Ciências da Religião e outras afins das Ciências Humanas.

A Kerygma oferece acesso livre imediato e gratuito a seu conteúdo e aos arquivos de edições anteriores por acreditar na democratização mundial do conhecimento científico. Ao mesmo tempo, novos textos podem ser submetidos à avaliação do periódico mediante o cadastro, ao passo que atenda as normas técnicas, ortográficas e outros critérios de normatização estipulados pela revista em suas diretrizes.

A missão da revista Kerygma é divulgar, no âmbito científico, conhecimento teológico e religioso de qualidade; e apresentar resultados de pesquisas inovadoras na área das Ciências da Religião, Teologia e afins, que configurem contribuições relevantes principalmente para o contexto Latino-Americano. Ela também pretende informar os pesquisadores a respeito de discussões correntes no âmbito das áreas sugeridas e servir como elo de diálogo acadêmico internacional. Para tanto, a Kerygma se configura como locus que aprecia a pluralidade de perspectivas unida à seriedade metodológico-científica, possibilitando um diálogo crítico e integrador.

Atualmente, a Kerygma encontra-se indexada nos seguintes buscadores: Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER/IBICT); Sistema Regional de Informação em Linha para Revistas Científicas da América Latina, Caribe, Espanha e Portugual (Latindex); Religion Database, publicado pela American Theological Library Association (ATLA), Chicago, Illinois, EUA; Portal de Periódicos da CAPES; Sumários.org; Google Acadêmico; e Crossref.

(Retornar ao sumário )

Políticas de seção

Temática livre: A revista aceita semestralmente artigos para serem publicados na seção de temática livre. Os trabalhos enviados para essa categoria podem apresentar assuntos dos mais variados – desde que estejam alinhados com as áreas das Ciências da Religião e Teologia, e outras das Ciências Humanas em diálogo com o fenômeno religioso. Esses artigos são publicados em paralelo ao dossiê semestral sem, contudo, seguir sua proposta temática.

Nominata: A revista publica anualmente uma lista com o nome e filiação dos avaliadores que auxiliaram no processo cego de Peer Review. Essa lista é apresentada como evidência de que, antes da publicação, os textos passaram por um processo de avaliação pelos pares com o objetivo de certificar a qualidade dos estudos publicados. 

(Retornar ao sumário )

Processo de avaliação cega por pares

A primeira etapa de avaliação dos artigos submetidos à Kerygma tem como critério as “diretrizes para autores”. A depender do cumprimento de tais diretrizes para a submissão de um artigo, o trabalho poderá ser encaminhado para a segunda etapa, a de revisão cega pelos pares, ou reencaminhado ao autor para a realização de alterações previstas nas normas da revista. A adequação do artigo à primeira etapa não garante a sua aceitação na seguinte.

Todos os textos submetidos à Kerygma passam pelo exame simultâneo de duas avaliações, realizadas por acadêmicos integrantes do Conselho Científico ad hoc do periódico pelo sistema de avaliação cega (Double Blind Peer Review), composto por especialistas na temática das submissões recebidas. A avaliação, nessa etapa, diz respeito especificamente ao conteúdo. Tanto os(as) autores(as) quanto os(as) avaliadores(as) não terão os seus nomes divulgados durante o processo de avaliação. As pessoas avaliadoras possuem um prazo de até quatro semanas para emitir um parecer favorável, desfavorável ou favorável sob condições de revisão. Em casos de necessidade, uma terceira pessoa avaliadora pode ser consultada, principalmente quando há divergência de opinião entre os pareceres.

Nos casos em que os artigos forem classificados como “favorável sob condições de revisão”, as pessoas autoras serão notificadas, recebendo por e-mail uma cópia da avaliação juntamente com suas exigências para o aprimoramento do trabalho e instruções para modificações. Em situações de recusa, elas também receberão um documento por e-mail contendo, nas palavras das pessoas avaliadoras, os motivos para a não publicação do artigo no periódico.

No geral, os artigos de temática livre tendem a demorar mais para serem avaliados em virtude do número de artigos recebidos continuamente. Eles também podem levar mais tempo para análise pois dependerá da disponibilidade de um especialista específico para a avaliação do texto sobre determinado assunto de seu domínio.

(Retornar ao sumário )

Formato e periodicidade

A Kerygma é uma revista semestral (Junho/Julho e Dezembro/Janeiro), publicada apenas em formato eletrônico (ISSN 1809-2454).

(Retornar ao sumário )

Política de acesso livre

A Kerygma oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de gratuidade da produção científica, proporcionando democratização mundial da informação e do conhecimento em português, inglês e espanhol. Além disso, ela também possui uma política de cooperação editorial gratuita por não cobrar taxas dos autores para submissão ou edição dos artigos submetidos, contando com a assistência espontânea da comunidade científica – tanto para produção quanto para a avaliação de seu conteúdo.

(Retornar ao sumário )

Arquivamento

A revista utiliza a tecnologia Lots of Copies Keep Stuff Safe (LOCKSS), parceira da Public Knowledge Projetc (PKP), para criar um sistema de arquivos distribuídos entre as bibliotecas participantes e permite a estas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração.

(Retornar ao sumário )

Declaração sobre ética

A Kerygma compreende que tanto a liberdade para o debate acadêmico quanto a conduta ética para realizá-lo por meio da pesquisa são princípios fundamentais para manter o nível de qualidade das publicações científicas. Portanto, a revista se compromete com os padrões éticos no âmbito editorial. A fim de evitar más condutas nesse contexto e prezar por padrões éticos em suas publicações, a Kerygma toma como referência as normas do “Relatório da Comissão de Integridade de Pesquisa do CNPq” e do “Commitee on Publication Ethics” (COPE), de acordo com práticas nucleares, e outros documentos que fornecem para a qualificação moral e ética dos processos editoriais. Ela também se baliza pelos “Padrões Internacionais para Editores”, recomendações indicadas pela SciELO, e pelo “Código de Boas Práticas Científicas”, da FAPESP. Os princípios éticos da revista perpassam todo o processo editorial.

Por considerar os procedimentos idôneos e objetivos de uma avaliação, a revista adota o sistema Double Blind Peer Review. Contudo, antes desse processo, ela realiza a verificação da originalidade e do ineditismo dos textos submetidos com o objetivo de prevenir plágios ou autoplágios. Essa análise é realizada por meio de softwares especializados. Além dessa prática reprovável, a revista também se atenta para problemas de fabricação ou falsificação. De acordo com o “Código de Boas Práticas Científicas” da FAPESP,

1. Plágio é a “utilização de ideias ou formulações verbais, orais ou escritas de outrem sem dar-lhe por elas, expressa e claramente, o devido crédito, de modo a gerar razoavelmente a percepção de que sejam ideias ou formulações de autoria própria.”
2. Fabricação é a “afirmação de que foram obtidos ou conduzidos dados, procedimentos ou resultados que realmente não o foram.”
3. Falsificação é a “apresentação de dados, procedimentos ou resultados de pesquisa de maneira relevantemente modificada, imprecisa ou incompleta, a ponto de poder interferir na avaliação do peso científico que realmente conferem às conclusões que deles se extraem.”

Nos casos específicos de autoplágio, a Kerygma aceitará apenas artigos que computem, no máximo, 25% do conteúdo. Nesse caso, correspondente à utilização de trabalhos anteriores para a confecção de artigos, a citação às referências antigas precisam estar claras. Se o artigo ultrapassar o limite estipulado por estas diretrizes, ele será devolvido às pessoas autoras para nova submissão.

Em caso de outras más práticas científicas, além das mencionadas acima, as pessoas autoras são as responsáveis pela originalidade e autoria de sua criação. Assim, a revista ou editora que a veicula não será penalizada civil ou criminalmente por eventual publicação de conteúdo inadequado. Ao submenter um manuscrito, as pessoas autoras garantem que o trabalho não foi publicado ou está sendo avaliado por outra revista.

Após a publicação, quando forem identificados casos de plágio, falsificação ou fabricação de resultados, entre outras ações fraudulentas, a revista pode retirar o artigo de seus registros ou, em casos menos graves que não invalidem o valor científico da obra, corrigir o artigo publicado com uma errata, conforme o “Guia para Registro de Errata do Scielo”. Ela indicará correções, inclusões, exclusões etc. O texto da errata será disponibilizado em link e deverá conter o mesmo número DOI do artigo, assim como outras informações originais.

Se o trabalho submetido à revista realizou alguma pesquisa com seres humanos, deve seguir o que determina a Resolução do Conselho Nacional de Saúde (CNS 196/96). Além disso, ela deve ter sido aprovada pelo Cômite de Ética em Pesquisa da instituição em que foi realizada, enviando à Kerygma um documento comprovante dessa permição. Os Termos de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) devem estar em posse das pessoas autoras responsáveis pela pesquisa, caso sejam necessários consulta e verificação.

Diante de tais definições, a revista Kerygma:

1. Utiliza detectores de plágio (por exemplo, Plagius), para detectar irregularidades no conteúdo;
2. Recebe textos submetidos unicamente pelo sistema, realizado diretamente pelas pessoas autoras;
3. Designa os manuscritos recebidos a pareceristas com reconhecida aderência ao assunto tratado no texto;
4. Sugere que as pessoas autoras e as avaliadoras se cadastrem no sistema do periódico com a informação de e-mail institucional e ORCID;
5. Está atenta a comportamentos que evidenciem “manipulação de avaliação”, conforme o fluxograma do COPE, “How to Recognise Potential Manipulation of the Peer Review Process”, assim como suas sugestões de reparo: “How to do if you suspect Peer Review Manipulation”;
6. Oferece subsídios à equipe editorial com materiais que informam sobre práticas de má conduta, assim como procedimentos para a avaliação de acordo com o “Ethical Guidelines for Peer Reviewers” do COPE;
7. Com o objetivo de resolver suspeitas de má conduta, aciona outros periódicos acadêmicos, compartilhando informações entre editores, a partir do procedimento oferecido pelo COPE (“Sharing of Information Among Editors-in-Chief Regarding Possible Misonduct”);
8. Recebe denúncias sobre más práticas editoriais pelo e-mail: felipe.carmo@ucb.org.br.

A retratação de artigos, a partir das diretrizes do COPE, “Retraction Guidelines”, é compreendida pela revista como prática de garantia de qualidade das publicações. Assim, ela não expressa um mecanismo de punição de autores, independentemente de sua conduta. Um texto pode ser retratado, por exemplo, quando os dados apresentados não são confiáveis, quando há erros metodológicos ou outras características do gênero que comprometam a confiabilidade do estudo. Nesses casos, registra-se na edição em que o texto foi publicado as principais informações do artigo juntamente com a indicação de sua despublicação por ocasião de desacordo com as normas éticas de conduta.

O anonimato para esses casos é garantido, e a situação problemática será averiguada particularmente no diálogo com as pessoas implicadas. Casos mais complexos serão submetidos a instâncias adequadas – como, por exemplo, caso um parecerista se aproprie de um dado ou ideia de um artigo submetido à sua avaliação (COPE, “What to do if you suspect a reviewer has appropriated na author’s ideas or data”). Possíveis reclamações de caráter técnico no processo editorial poderão ser enviadas para o e-mail: felipe.carmo@ucb.org.br.

Por fim, pode ser que no processo de avaliação surja um potencial conflito de interesses não relativo ao avanço da pesquisa. Nesse caso, será seguido o “Código de Boas Práticas Científicas” da FAPESP. Uma vez detectado pelo autor, avaliador ou editor, serão realizadas ações pertinentes para a resolução, em que o editor será responsável pela intermediação do conflito entre as partes envolvidas e, da mesma forma, pela ponderação final.

(Retornar ao sumário )

Nominatas

A revista Kerygma publica, em cada ano de suas edições, uma lista das pessoas que participaram do conselho editorial científico, isto é, as pessoas responsáveis pela avaliação dos textos submetidos ad hoc no processo de Double Blind Peer Review. A nominata é publicada anualmente como evidência de que os artigos incluídos em cada edição foram devidamente avaliados por especialistas em suas respectivas áreas e, assim, comprovam a qualidade do material veiculado.

(Retornar ao sumário )

Submissões

Todos os artigos que pretendem ser publicados pela revista Kerygma devem ser submetidos on-line pelas pessoas autoras. Para que isso seja realizável, elas devem se cadastrar na plataforma mediante a utilização de login e senha. Essa realização é obrigatória para a submissão dos manuscritos, bem como para o acompanhamento do processo editorial. Sempre que necessário, as pessoas autoras devem manter atualizados os seus dados na plataforma para que não ocorra conflito de informações.

Já possui login/senha de acesso à revista Kerygma?

Acesso.

Não possui login/senha?

Acesso à página de cadastro.

(Retornar ao sumário )

Patrocínio da revista

A revista Kerygma agradece a editora Unaspress pela parceria de longa data por responsabilizar-se pela edição e diagramação da revista ao longo dos anos. Ela também agradece ao Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP) e à Faculdade Adventista de Teologia (FAT) por proverem todas as condições necessárias para seu bom funcionamento.

(Retornar ao sumário )

Histórico do periódico

A revista Kerygma, desde 2005, veicula material acadêmico de caráter interdisciplinar no escopo das Ciências da Religião e da Teologia. Em 16 anos de existência, ela já propagou mais de 200 artigos, elaborados por pesquisadores(as) nacionais e estrangeiros(as).

(Retornar ao sumário )

Sobre o sistema de publicação

A revista Kerygma utiliza o Open Journal Systems (OJS 2.4.8.5), sistema de código livre gratuito para a administração e publicação de revistas, desenvolvido com suporte de distribuição pelo Public Knowledge Project sob a licença General Public License (GNU).

(Retornar ao sumário )