O toque da fé: paradigmas bíblicos da cura divina
PDF

Palavras-chave

milagres
cura divina
dons espirituais
carismatismo
saúde.

Como Citar

Benedicto, M. (2005). O toque da fé: paradigmas bíblicos da cura divina. Kerygma, 1(1), 58. Recuperado de https://unasp.emnuvens.com.br/kerygma/article/view/343

Resumo

O milagre é compatível com a cosmovisão bíblica e não deve ser considerado uma violação das leis naturais. Entre os recursos (ou técnicas) biblicamente aceitáveis para a cura divina, estão a oração dirigida a Deus, a fé expectante, o estímulo da vontade, o toque e a unção com óleo. Já entre as práticas condenadas ou sem paralelos bíblicos incluem-se a fé no poder mental, a visualização, a busca da cura em lugares sagrados, a veneração de relíquias, a intercessão de santos, o uso de sacramentos, as cirurgias mediúnicas e a terapia de regressão. O autor propõe uma visão cíclica contínua dos milagres, mas não no sentido dispensacionalista. Essa abordagem proposta pressupõe a vigência dos dons miraculosos na atualidade e prevê que, pouco antes da parousia, ocorrerá um novo ciclo de milagres. Aparentemente, o movimento pentecostal/carismático não corresponde a esse ciclo, embora possa estar contribuindo para a quebra do paradigma naturalista infiltrado no cristianismo. A Igreja Adventista do Sétimo Dia, que era mais “carismática” em seus primórdios, deve aproveitar o momento atual, em que o cristianismo enfatiza o uso total dos dons e o mundo secular se inclina na direção da cura integral (conceitos historicamente defendidos pelo adventismo), e investir em um ministério de “cura divina” – além de continuar focalizando a prevenção e a cura por meios naturais ou da medicina convencional. Para isso, deve criar o seu próprio modelo e deixar a graça fluir.
PDF

Uma vez aceitos para a publicação, os direitos autorais dos artigos são automaticamente transferidos à Kerygma. Todo material utilizado no texto que possua direitos autorais de terceiros devem estar devidamente referenciados. As pessoas autoras também devem deter os direitos de reprodução das imagens e tabelas em seu material, caso seja necessário. Autores(as) que publicam na Kerygma devem concordar com os seguintes termos:

Termo 1: Os(as) autores(as) concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
Termo 2: Os(as) autores(as) têm a autorização para assumir contratos adicionais para a distribuição não exclusiva de seu trabalho, conforme publicado na revista (por exemplo: repositório institucional, capítulo de livro etc.). Contudo, ele deve reconhecer a autoria e a publicação inicial do trabalho à Kerygma.
Termo 3
: Os(as) autores(as) concordam com a reprodução livre de seu material pela Kerygma, que poderá adaptar, modificar, condensar, resumir, reduzir, compilar, ampliar, alterar, mixar com outros conteúdos, incluir imagens, gráficos, objetos digitais, infográficos e hyperlinks, ilustrar, diagramar, fracionar, atualizar, traduzir e realizar quaisquer outras transformações, sendo necessária a participação ou autorização expressa dos autores. Ela também pode distribuir mediante cabo, fibra ótica, satélite, ondas ou qualquer outro sistema que permite acesso ao usuário em tempo e lugar determinados, seja por vias gratuitas ou por sistemas que importem pagamento. A Kerygma poderá incluir o trabalho em banco de dados, físico ou virtual, arquivar em formato impresso, armazenar em computador, em sistema de nuvem, microfilmar e demais formas de arquivamento atuais ou que ainda possam ser desenvolvidas, com ou sem fins lucrativos.

A revista Kerygma é detentora dos direitos de todos os trabalhos publicados por ela. A reprodução integral desses textos em outras publicações, para qualquer outra finalidade, por quaisquer meios, requer autorização por escrito do editor. O mesmo serve para reproduções parciais, como resumo, abstract, porções com mais de 500 palavras do texto, tabelas, figuras, ilustrações etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.