PERCEPÇÃO DE SAÚDE MENTAL DE GRADUANDOS DE CURSOS DA ÁREA DA SAÚDE
PDF

Palavras-chave

saúde mental
saúde pública
estigma social mental health
public health
social stigma

Como Citar

Glink, J. C., & Andrade, E. A. de. (2021). PERCEPÇÃO DE SAÚDE MENTAL DE GRADUANDOS DE CURSOS DA ÁREA DA SAÚDE. Life Style, 7(2), 65–73. https://doi.org/10.19141/2237-3756.lifestyle.v7.n2.p65-73

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar a compreensão de saúde mental de estudantes de cursos de graduação da área da saúde e possíveis estigmas que essa compreensão carrega. Trata-se de uma pesquisa quali-quantitativa realizada em dezembro de 2019 com 54 estudantes universitários matriculados no último ano de graduação de cursos de saúde de enfermagem, nutrição, fisioterapia e psicologia de uma instituição de ensino superior (IES) da zona sul de São Paulo/SP. A coleta de dados ocorreu através da aplicação do Questionário de Percepção sobre Saúde Mental. Os dados foram analisados através do Software Microsoft Office Excel 2010; a fim de encontrar as proporções foi utilizado o teste de qui-quadrado, sendo considerado nível de significância de 5% (p< 0,05). Os principais resultados apontam para uma compreensão de saúde mental ainda estigmatizada, mesmo sendo graduandos quase formados; e um forte estigma de que as situações de saúde mental ainda estão muito atreladas à área da psicologia e a questões de depressão e ansiedade. Tal incompreensão da temática possivelmente está relacionada aos aspectos de uma formação ainda norteada por uma ótica biomédica e manicomial mostrando insuficiência de capacitação dos estudantes no que diz respeito a saúde mental, através da sinalização de sentimentos de despreparo e preocupações para realização dos atendimentos.

https://doi.org/10.19141/2237-3756.lifestyle.v7.n2.p65-73
PDF

Referências

BORGES, C.; FARIA, G. J. Redes Sociais e Atenção em Saúde Mental: Uma Revisão da Literatura. Revista de Psicologia da IMED, v. 9, n. 1, p. 159-174, 2017.

BRASIL. Lei nº 10.216 de 06 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Brasília: Presidência da República, 2001. Disponível em: https://bit.ly/3qpq4oV. Acesso em: 15 jan. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Glossário temático: gestão do trabalho e da educação na saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. Disponível em: https://bit.ly/3qoIl5B. Acesso em: 15 jan. 2021.

CABRAL, T. M. N.; ALBUQUERQUE, P. C. Saúde mental sob a ótica de agentes comunitários de saúde: a percepção de quem cuida. Saúde Debate, v. 39, n. 104, p. 159-171, 2015.

FARIA, M. G. A.; ACIOLI, S.; GALLASCH, C. H. Perfil de enfermeiros fluminenses da estratégia de saúde da família participantes de um curso de especialização. Enfermagem em Foco, v.7, n.1, p. 52-55, 2016.

FERREIRA, F. N.; FERNANDINO, D. C.; SOUZA, G. R. M.; IBRAHIM, T. F.; FUKINO, A. S. L.; ARAÚJO, N. C.; VIDAL, C. E. L. Avaliação das atitudes de Estudantes da Área da Saúde em relação a Pacientes Esquizofrênicos. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 39, n. 4, p. 542-557, 2015.

FERREIRA, M. S.; CARVALHO, M. C. A. Estigma associado ao transtorno mental: uma breve reflexão sobre suas consequências. Revista Interdisciplinar de Estudos em Saúde, v. 6, n. 2, p. 192-201, 2017.

FEUERWERKER, L. Micropolítica e saúde: promoção de cuidado, gestão e formação. Porto Alegre: Rede UNIDA, 2014.

GAINO, L. V.; SOUZA, J.; CIRINEU, C. T.; TULIMOSK, T. D. O conceito de saúde mental para profissionais de saúde: um estudo transversal e qualitativo. SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool E Drogas, v. 14, n. 2, p. 108-116, 2018.

GARCIA, A. C. P.; LIMA, R. C. D.; GALAVOTE, H. S.; COELHO, A. P. S.; VIEIRA, E. C. L.; SILVA, R. C. & ANDRADE, M. A. C. Agente comunitário de saúde no Espírito Santo: do perfil às atividades desenvolvidas. Trabalho, Educação e Saúde, v. 15 n. 1, p. 283-300, 2017.

JORM, A. F.; KORTEN, A. E.; JACOMB, P. A.; CHRISTENSEN, H.; RODGERS, B.; POLLITT, P. “Mental health literacy”: a survey of the public's ability to recognise mental disorders and their beliefs about the effectiveness of treatment. Medical Journal of Australia, v. 166, n. 4, p. 182-186, 1997.

LARENTIS, C. P.; MAGGI, A. Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas e a Psicologia. Revista Aletheia, n. 37, p. 121-132, 2012.

LOUREIRO, L. M. J.; ABRANTES, A. R. D. Estigma e procura de ajuda em saúde mental. In: LOUREIRO, L. M. J. (Coord.). Literacia em saúde mental: Capacitar as pessoas e as comunidades para agir. Coimbra: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, 2014, p. 41-61.

MAFTUM, M. A.; PAGLIACE, A. G. S.; BORBA, L. O.; BRUSAMARELLO, T. & CZARNOBAY, J. Mudanças ocorridas na prática profissional na área da saúde mental frente à reforma psiquiátrica brasileira na visão da equipe de enfermagem. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental, v. 9, n. 2, p. 309-314, 2017.

MUHL, C.; HOLANDA, A. F. “Duas faces da mesma moeda”: vivência dos psicólogos que atuam na rede de atenção psicossocial. Revista da Abordagem Gestáltica, v. 21, n. 1, p. 59-67, 2016.

NOGUEIRA, F. J. S.; BRITO, F. M. G. Diálogos entre saúde mental e atenção básica: relato de experiência do Pet-Saúde no município de Parnaíba-PI. Pesquisas e Práticas Psicossociais, v. 12, n. 2, p. 374-387, 2017.

SPINK, M. J. P. Psicologia social e saúde: prática, saberes e sentidos. Petrópolis: Editora Vozes, 2017.

Downloads

Não há dados estatísticos.